Dicas de mergulho pelo mundo

Em busca do mergulho perfeito: Virgínia Falanghe, editora do Dicas de Viagem e Viva o Mundo

Do nordeste brasileiro às praias da Austrália, ela conta seus destinos favoritos

21 de outubro de 2019

Do nordeste brasileiro às praias da Austrália, ela conta onde curtiu mergulhar

Dicas de mergulho pelo mundo

 

Mergulhar não é uma novidade para a jornalista paulistana Virgínia Falanghe, editora dos sites Dicas de Viagem e Viva o Mundo. Filha do mergulhador profissional Alcides Falanghe, desde os 11 anos está acostumada a vestir o cilindro nas costas e pular no mar. “Meu pai mora em um barco e já fiquei 3 meses com ele em alto mar explorando as praias do Caribe”, conta ela, que perdeu a conta de quantas vezes mergulhou na vida.

Do nordeste brasileiro às praias da Austrália, Virgínia contou para o guia além alguns de seus destinos favoritos para ficar submersa.

> Fernando de Noronha – Pernambuco

[modula id=”2461″]

 

“É um paraíso. Me arrisco a dizer, inclusive, que é o melhor do Brasil. Você vê várias espécies grandes, tipo tubarão-lixa, golfinhos e tartarugas. Quando eu fui, fizemos o trajeto Natal – Fernando de Noronha de barco. Passei o tempo todo na água, e conheço mais a Noronha submersa do que por fora.”


> Abismo Anhumas – Bonito (Mato Grosso do Sul)

“É considerado o maior passeio de aventura do Brasil, ou seja, não é para iniciantes. O mergulho lá é em caverna, e para chegar é preciso descer 72 metros de rapel (equivalente a um prédio de 30 andares). Você vai com cilindro e lanterna, já que é tudo escuro. É uma floresta submersa, surreal. É caro, mas uma experiência incrível.”


> Ilha Grande – Rio de Janeiro

“Para quem está começando no esporte, Ilha Grande, no estado do Rio de Janeiro, é um ótimo destino. Encontrei bastante vida lá, vários cardumes e águas claras, o que foi uma surpresa boa para mim. Minhas expectativas não estavam muito altas porque no litoral norte de São Paulo, que é perto, geralmente a visibilidade não é tão boa e tem pouca vida marinha. Vale o passeio e dá para fazer snorkel só também.”

Dicas de mergulho pelo mundo


> Ningaloo – Austrália

“É a segunda maior barreira de corais da Austrália. Fica entre as cidades de Coral Bay e Exmouth e, para chegar lá são cerca de 13 horas de carro saindo de Perth. O lugar é incrível porque é bem preservado e tem mar cristalino. Dá para ver bastante vida mesmo de snorkel. Vimos baleia jubarte (foto), tubarão-tigre, tartarugas raras e peixe-boi, por exemplo.”

[modula id=”2469″]


Bonaire – Caribe

“Ao lado de Curaçao, no Caribe, é o paraíso dos mergulhadores. Como o acesso aos pontos de mergulho é fácil, isto é, não precisa pegar embarcação, você vê um monte de gente com cilindro e nadadeira atravessando a rua. É engraçado. Espalhados pela estrada há mais de 60 demarcações amarelas que indicam os melhores lugares para mergulhar. É só chegar na praia, nadar um pouco e pronto, está lá. O mar é cristalino e as condições são boas o ano todo.”

Dicas de mergulho pelo mundo

 


Turks e Caicos – Caribe

“Outro destino incrível. Em Grand Turk, logo depois do recife de coral, você encontra um abismo submerso impressionante que cai verticalmente dos 15 metros aos 1.5000 de profundidade. A visibilidade é surreal, a água do mar é azul cristalina e tem muita vida. Vi vários peixes, tartarugas e tubarão.”

[modula id=”2476″]

 


Sobre a viajante:

 

Virgínia FalangheVirginia Falanghe é jornalista, apaixonada por viagens, natureza, aventuras e compartilhar dicas para ajudar mais pessoas a viajarem mais e melhor. Quando não está viajando, está lendo, escrevendo ou falando sobre destinos do Brasil e do mundo. Gosta de conhecer a fundo cada lugar, por isso não acredita em contá-los. Já pisou nos cinco continentes e fez algumas paradas longas para morar na Austrália, Estados Unidos, Canadá e Portugal. Atualmente, mora em São Paulo e escreve dicas de viagens no site da Jovem Pan, integra a equipe do programa Mulheres da Pan como especialista em turismo e também é editora-chefe dos sites Dicas de Viagem e Viva o Mundo.

 

“Viajar bem, para mim, é viajar com o coração aberto para conhecer novas culturas e diferenças. É estar preparado para lidar com qualquer contratempo que aconteça. É viajar para aprender, conhecer, admirar e voltar cheio de histórias pra compartilhar e inspirar mais pessoas a expandirem seus horizontes.”

Fim

Veja também